29
dez
Minimalismo na decoração

O minimalismo surgiu na década de 60 nos EUA e, desde o início, causou polêmica e despertou a admiração de muitas pessoas. Aqui, no Brasil, passamos a ter um contato mais próximo com o movimento na década de 80/90, onde suas características prevaleciam em objetos, em fachadas e em ambientes.

A ideia principal do movimento é a do “menos é mais”. No minimalismo, a intenção é manter um cômodo com o mínimo de móveis e acessórios decorativos possíveis: montar sempre composições limpas e funcionais. Em uma decoração minimalista, só há espaço para o que é essencial.

Mas isso não quer dizer que a decoração seja sem graça e incompleta, pelo contrário. O interessante das composições minimalistas é exatamente isso: elas encontram um equilíbrio e harmonia entre as peças e espaços vazios. E colocá-las em prática, é saber planejar cuidadosamente o ambiente para que ele entre em harmonia mesmo com a “escassez” de acessórios.

Os móveis e as peças com fortes atributos são extremamente valorizados nos ambientes: a quantidade pode ser reduzida, mas a qualidade não é somente mantida, como também bastante elevada. Obras de arte bonitas e chamativas, móveis sofisticados e acessórios charmosos ganham um espaço nesses ambientes.

Para montar uma composição minimalista, é preciso prestar atenção em todos os detalhes e evitar os excessos. A paleta de cores é um pouco limitada: as mais comuns são o preto e o branco. Mas você, que é criativa e gosta de brincar, pode mesclar o minimalismo com outros estilos. Isso te permitirá uma maior liberdade de escolha no momento da composição.

Caso você tenha se animado a adaptar algum cômodo da sua casa para os moldes de estilo do movimento minimalista, fique atenta para algumas diquinhas! Analise bem a área do seu ambiente para saber a melhor forma de disposição dos móveis. Lembre-se nesse momento de escolher só o que for essencial e colocar uma, ou duas, peças de grande valor para você na decoração.

Dê ênfase ao visual limpo: pouquíssimas coisas ou nada acima das prateleiras; nada acima dos móveis; cortinas discretas nas janelas; para guardar bugigangas, prefira os armários com porta; escolha peças com linhas retas e modernas e use cores sólidas para não divergir do restante.

E aí, você acha que é capaz de se desligar de todos seus acessórios e entrar no “menos é mais”? Fala aí sua opinião! =)

Poderá gostar também de:

2 comentários para “Minimalismo na decoração”

  1. Adriana disse:

    A Decoração minimalista é uma verdadeira arte. Compor um ambiente com poucas peças e gerar um impacto em cima disso, é muito mais surpreendente do que um ambiente cheio de moveis e peças.

    Sem falar na elegância que se transmite nesse tipo de ambiente.

  2. MMM disse:

    Verdade, Adriana! Fazer bonito com pouco é sempre um desafio, que fica lindo no final!

Deixe um comentário